educação » curadoria
 
 

Ação educativa na 30ª Bienal de São Paulo

As ações do Educativo Bienal para a 30ª edição começaram a ser elaboradas ainda em 2011, em parceria com a curadoria da exposição. Em janeiro de 2012, iniciaram-se os Encontros de Formação em Arte Contemporânea para professores, educadores sociais, jornalistas e público em geral, dando início à interlocução com os conceitos, artistas e obras da exposição A iminência das poéticas. Durante toda a 30ª Bienal, que ocorreu de setembro a dezembro de 2012, foi intensa a programação da Ação educativa, que tem curadoria de Stela Barbieri. Em 2013, ações educativas da 30ª Bienal continuam acontecendo pelo país.
Leia mais (pdf)

Apresentação do Educativo Bienal 

A arte e a educação são áreas revolucionárias por natureza. Por meio delas, mudamos nossa visão de mundo e criamos outras maneiras de olhar e agir. Ser artista e professor exige um exercício constante de criação e descoberta de novos caminhos. O papel do Educativo em uma instituição cultural é propor questionamentos sobre a vida e a arte contemporânea através do contato com a arte. As perguntas, os problemas e as proposições explicitados pelos artistas nos trazem atravessamentos, nos suscitam ações que alimentam nossa maneira de inventar a educação através da arte.
Leia mais (pdf)

Ação educativa na exposição Em Nome dos Artistas

A partir do trabalho desenvolvido na 29ª Bienal, também com curadoria de Stela Barbieri, a diretoria da Fundação Bienal de São Paulo percebeu a necessidade de um trabalho contínuo. Em 2011 o Educativo da Bienal se transformou em permanente. Grande parte das ações da 29ª foram mantidas, repensadas e avaliadas, assim como novas ideias e projetos foram agregados.
As atuações do Educativo na exposição Em nome dos artistas – Arte contemporânea norte-americana na Coleção Astrup Fearnley começaram a ser desenvolvidas em janeiro de 2011.
Leia mais (pdf)

Projeto Educativo da 29ª Bienal de São Paulo

A 29ª Bienal de São Paulo elaborou um extenso Projeto Educativo, que ofereceu atividades e materiais de formação variados para públicos diferentes. Tendo como foco a experiência com a arte, as ações não constituíram um guia para a compreensão dos trabalhos, mas uma coleção de convites para quem quisesse se aproximar dos conceitos e poéticas que integraram a mostra. A ideia do educativo é sempre encorajar o público a acreditar em suas próprias percepções sobre os trabalhos expostos, lançando mão de seus repertórios e experiências, e, ao mesmo tempo, oferecer informações que ampliem seu universo de compreensão da arte.
Leia mais (pdf)

Clique aqui para ler a entrevista com Stela Barbieri sobre a Bienal.
Clique aqui para ler a entrevista com Stela Barbieri sobre a 29ª Bienal.
Clique aqui para assistir a entrevista com Stela Barbieri sobre a 29ª Bienal.

   
 



   


 

 


português | english créditos